Vigilância Compartilhada de Superfície: Um novo paradigma para o Brasil

Sistemas possibilitam aumento da capacidade de tráfego dos aeroportos, redução do consumo de combustível e redução da emissão de CO²
A partir de uma estratégia de desenvolvimento baseada no modelo A-CDM (Airport Collaborative Decision Making), o princípio da vigilância compartilhada de superfície pode constituir-se no primeiro passo para a mudança do cenário aeroportuário brasileiro.

“A capacidade de tráfego dos aeroportos está intimamente associada à velocidade e à eficiência com que se desenvolvem as atividades entre pousos e decolagens - o chamado turn around. Ou seja, quanto menor o tempo de turn around, mais voos as companhias aéreas podem operar, com reflexos também na redução do consumo de combustível e na emissão de CO² durante as atividades de push-back e táxi das aeronaves”, aponta Martins.

Os sistemas de Multilateração e o módulo Surface Manager da plataforma A-CDM Aerobahn, da Saab, auxiliam de forma efetiva na gestão da superfície dos aeroportos. Enquanto o sistema de Multilateração é composto por sensores que identificam as aeronaves e os outros veículos, assim como determinam suas posições e deslocamentos, a Aerobahn Surface Manager trata as informações recebidas e as apresenta na tela dos usuários, oferecendo uma ampla gama de recursos adicionais, indispensáveis à gestão eficiente do pátio de estacionamento.

A partir dessas duas ferramentas, as aeronaves e os demais veículos que compartilham a superfície do aeroporto – como ônibus de passageiros, carros de push back, caminhões de abastecimento de combustível e prestadores de serviço de alimentação –, são permanentemente visualizados e gerenciados, de forma integrada e consistente. Desta forma, todos os stakeholders têm acesso às informações que lhes permitem agilizar seus serviços e gerir melhor seus ativos e recursos humanos. Entre diversas funcionalidades, o sistema viabiliza a geração de alertas operacionais, em situações de anormalidade como, por exemplo, uma aeronave dirigindo-se a um portão que está ocupado, ou uma aeronave em operação de táxi por tempo superior ao considerado aceitável.
“O crescimento da atividade de transporte aéreo na América Latina ao longo da última década veio evidenciar a necessidade de melhoria da infraestrutura aeroportuária. Por isso, acreditamos que, em breve, operadores aeroportuários adotarão mecanismos mais eficientes de gestão dos procedimentos realizados na superfície dos aeroportos”, diz Martins.


Fonte: SAAB

Comentários

Postagens mais visitadas