Força Aérea 100 - Documento apresenta diretrizes para os próximos 25 anos

“Força Aérea 100” apresenta atribuições, eixos estratégicos e capacidades da FAB
O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, assinou nesta terça-feira (26/01) a Concepção Estratégica “Força Aérea 100”. O documento (DCA 11-45) contém as diretrizes necessárias para orientar o futuro da FAB para os próximos 25 anos, quando a instituição completará 100 anos. Na concepção, estão as atribuições, eixos estratégicos e capacidades para cumprir os desafios, reforçando a ética, os valores, e o profissionalismo. A finalidade é uma Força Aérea mais eficaz no desempenho de suas atribuições, na paz e na guerra.

As diretrizes da “Força Aérea 100” preveem uma organização ágil e adaptável, tanto no planejamento quanto na execução das suas atividades, adequando-se às prováveis limitações de recursos e às incertezas do ambiente externo. O documento também contém a contribuição da FAB na construção da capacidade militar para compor o esforço principal da Defesa Nacional e os investimento em recursos humanos. “Estas propostas, onde predominam o uso de TI, comando e controle centralizado, estrutura de apoio simplificada, mobilidade, armamento inteligente e meios aéreos com condições de fazer frente a qualquer ameaça são uma tendência mundial e já foram ou estão sendo aplicadas em diversas forças aéreas”, exemplifica o Comandante da Aeronáutica.

O documento tem origem no alinhamento do Planejamento e Gestão Institucional da Aeronáutica com a Política Nacional de Defesa, Estratégia Nacional de Defesa e documentos setoriais. A “Força Aérea 100” aborda o Poder Aéreo Nacional, as capacidades futuras da FAB, além de mostrar as perspectivas estratégicas e os principais desafios a serem superados.

Relevância do Poder Aéreo e Espacial – O projeto traz uma contextualização do Poder Aéreo e Espacial na FAB e no mundo. Esse segmento realiza uma variada gama de ações e pode ser rapidamente empregado em ações ofensivas e defensivas. Mas também está presente nas situações de calamidade pública, naturais ou induzidas, sendo capaz de levar o auxílio rápido e preciso para as vítimas, otimizando a capacidade do País em termos logísticos. “Este tipo de missão faz, também, com que a população perceba a Força Aérea como sua protetora, não apenas contra ameaças externas, mas também para situações que precisam da intervenção do Estado”, explica o Tenente-Brigadeiro Rossato.

Entre os desafios da FAB na área do Poder Aéreo e Espacial para os próximos anos está o avanço em tecnologia. “A “Força Aérea 100” prevê que a fronteira tecnológica será o diferencial da FAB no futuro. Nesta linha de raciocínio, o ambiente cibernético é um dos campos que a instituição possui especial interesse, pois é essencial para sua operação. O Comando da Aeronáutica buscará uma cooperação contínua com as demais Forças Armadas Brasileiras, para que a capacidade operacional seja incrementada ao máximo.”

Capacidades futuras – A FAB do futuro dependerá do reconhecimento da necessidade de um processo contínuo de desenvolvimento de capacidades militares para o cumprimento da sua missão. Dentre as capacidades listadas no documento estão: ações de normalidade institucional; ajuda humanitária e mitigação de efeitos de desastres; colaborar na repressão de crimes transnacionais; garantia da lei e da ordem – com meios de vigilância aérea, inteligência de sinais, meios aéreos de transporte - e, ainda, a defesa das infraestruturas críticas da Aeronáutica; e integridade territorial/defesa patrimonial.

Perspectivas estratégicas para a Força Aérea - A mudança na dinâmica de recrutamento faz parte das estratégias para os próximos 25 anos. Nesse período, a FAB deverá focar na estruturação de uma força de trabalho mista, com profissionais de carreira e temporários, associados à introdução de novos sistemas de armas e conceitos. O objetivo é permitir uma redução da quantidade de pessoal na área de apoio e reforçar aqueles recursos voltados para a atividade fim.

Missão, Visão e Valores para a FAB – Disciplina, patriotismo, integridade, comprometimento e profissionalismo são os principais valores apontados no documento. A Constituição Federal estabelece como destinação das Forças Armadas a defesa da Pátria, a garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem, de onde derivam a missão e as atribuições do Comando da Aeronáutica.

Periodicamente haverá revisões e avaliações do documento para verificar a evolução do projeto e direcionar, com eficácia, os esforços do Comando da Aeronáutica. A Concepção Estratégica “Força Aérea 100” ressalta ainda que o sucesso dos próximos 25 anos depende diretamente da adequação da expectativa de recursos ao planejamento de maneira realista. Esta metodologia é que viabilizará as capacidades identificadas, bem como os desdobramentos de manutenção dessas capacidades.


Fonte: Agência da Força Aérea

Comentários

Postagens mais visitadas