Embraer inicia montagem de laboratório no primeiro Legacy 500 da FAB

O jato executivo Legacy 500 será transformado na nova aeronave-laboratório do GEIV
O Projeto I-X, um dos projetos estratégicos da Força Aérea Brasileira (FAB), que prevê o desenvolvimento das novas aeronaves de inspeção em voo, começou hoje (08/07) uma fase importante: a integração do sistema. É nesta etapa que o jato executivo Embraer Legacy 500 será transformado na nova aeronave-laboratório da FAB.

O projeto objetiva o desenvolvimento e aquisição de seis aeronaves para substituir a atual frota do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV). A primeira delas, que entrou hoje em fase de integração, será entregue em maio de 2016. Já a última, em novembro de 2017.

Segundo o gerente do projeto, Major Luís Fernando Câmara Ferro, a integração do sistema é a fase mais sensível e mais importante do desenvolvimento e deve durar nove meses. “Essa é a primeira vez que será feita a integração de um sistema de inspeção nesse tipo de aeronave, não só no Brasil, mas no mundo. São equipamentos de última geração que, aliados às características do Legacy 500, vão trazer segurança e conforto à tripulação, além de confiabilidade e precisão aos dados coletados”, explica o Major Ferro.

O GEIV é responsável por medir, aferir e calibrar equipamentos auxiliares à navegação aérea instalados em aeroportos de todo o País. Com maior precisão e confiabilidade nas inspeções, o maior ganho é da sociedade brasileira, que tem a seu favor equipagens capazes de garantir que todos os percursos aéreos, civis e militares, aconteçam de forma ainda mais segura.

As novas aeronaves-laboratório, que vão substituir os atuais IC-95 Bandeirante e Hawker HS-800, vão trazer diversos ganhos operacionais às tripulações. Foram instaladas mais 14 antenas na parte externa do avião, além das existentes. Será incorporada, além disso, uma câmera a laser que vai permitir à aeronave maior autonomia e independência em relação às equipes de solo.

Esse vai ser o único avião do mundo com tecnologia “fly by wire” (comandado eletronicamente) a ser utilizado para inspeção em voo. O papel também será eliminado da cabine: o check list dos pilotos será feito através de um tablet.

O Comandante do GEIV, Tenente-Coronel Marcelo de Lima Pinheiro, explica que, com o avanço tecnológico, os sistemas de navegação aérea sofreram alterações e, para serem testados, necessitam de alguns equipamentos mais precisos a bordo das aeronaves. Para fazer determinadas inspeções, hoje, o Grupo tem usado aviões pertencentes às companhias aéreas. Com a chegada das novas aeronaves, essa carência será suprida.

"Outro aspecto importante que os Legacy 500 vão trazer para o GEIV é a otimização da inspeção, como a possibilidade de testar mais de um auxílio sem a necessidade de pouso, até mesmo em localidades diferentes. Com a frota que temos hoje, nós não conseguimos, por exemplo, decolar com o tanque de combustível cheio aqui do Aeroporto Santos Dumont, pois nossas aeronaves precisam de muita pista. Para ir a Manaus, primeiro preciso parar em Santa Cruz para abastecer", explica o Tenente-Coronel Pinheiro.


Fonte: Agência da Força Aérea

Comentários

Blogger disse…
BlueHost is ultimately one of the best hosting company for any hosting services you need.

Postagens mais visitadas