Licitação fica para setembro e obras no Leite Lopes devem acabar em 2016

União confirma investimento para ampliar aeroporto de Rib. Preto (SP).
Obras federal e estadual devem ser realizadas simultaneamente, diz Daesp.
A internacionalização do Aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto (SP), deve continuar no papel pelo menos até o fim do ano. Isso porque, o processo de licitação das obras deve ser iniciado “a partir de setembro”, segundo informou a Secretaria de Aviação Civil (SAC), após encontro do ministro Eliseu Padilha com a prefeita Dárcy Vera (PSD) e vereadores locais, em Brasília (DF).

O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), por sua vez, comunicou que depende da abertura da licitação por parte do Governo Federal, para licitar as obras que lhe cabem no projeto – desapropriação da área onde a pista será ampliada e construção de um túnel na Avenida Thomaz Alberto Whatelly. “Da nossa parte, não há nenhuma pendência”, disse o superintendente Ricardo Volpi.

De acordo com o cronograma apresentado pelo ministro na última quinta-feira (9), a previsão é de que o Plano de Controle Ambiental, uma espécie de licença para que as obras sejam realizadas, fique pronto em junho. Já o anteprojeto deve ser finalizado em setembro, para só então ser encaminhado para aprovação.Incluído no programa de aviação regional do Governo Federal, o Leite Lopes receberá cerca de R$ 521 milhões em investimentos, como readequação da pista para operação de aeronaves maiores, que fazem rotas internacionais e transporte de cargas, construção de uma nova seção contra incêndio e de um novo terminal de passageiros com 30 mil metros quadrados, além de ampliação do pátio de aeronaves.

Avenida Thomas Alberto Whatelly,
que passará embaixo da pista
do aeroporto, em direção à
Rodovia Anhanguera (SP-330)
Padilha também defendeu que as obras dos governos Federal e Estadual sejam feitas paralelamente, destacando que a ampliação da pista – que cabe à União – só poderá ser feita após a desapropriação da área e do deslocamento da Avenida Thomas Alberto Whatelly, que passará embaixo da pista do aeroporto, em direção à Rodovia Anhanguera (SP-330), projeto chamado “mergulhão”.

Volpi explicou que o projeto executivo do “mergulhão”, que custará R$ 70 milhões aos cofres estaduais, foi protocolado em junho de 2013. O licenciamento ambiental também já teria sido apresentado à SAC em julho de 2014. Quanto ao Decreto de Utilidade Pública (DUP) para desapropriação da área – 390 mil metros – também está pronto e aprovado.

Tudo em dia

Em entrevista ao G1, o superintendente do Daesp, Ricardo Volpi, também defendeu que as obras federal e estadual sejam realizadas simultaneamente. Por isso, ele disse que o Estado licitará as obras que são de sua competência, assim que a SAC iniciar a licitação da parte que lhe cabe. “Nós vamos iniciar juntos, a ideia é essa. Vamos seguir o cronograma que o ministro anunciou”, disse.

“Nós estamos prontos para iniciar. Está tudo em dia, tudo aprovado. A expectativa anunciada pelo ministro é que em setembro poderemos licitar. Assim que o Governo Federal falar ‘nós vamos licitar tal dia’, nós também licitamos”, afirmou o superintendente do Daesp.

Um encontro entre representantes da SAC e do Daesp para tratar da aprovação preliminar do anteprojeto do terminal de passageiros e definição das obras a serem executadas pelo Estado foi agendada para maio.


Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas