Heróis do Dia D voltam à Normandia 70 anos depois


De uniforme e medalhas ao peito, os heróis do Dia D voltaram hoje à Normandia para as comemorações dos 70 anos do desembarque aliado na costa francesa.

O veterano britânico Frederick Glover é um dos 3000 veteranos presentes nas cerimónias do Dia D no norte de França
O veterano britânico Frederick Glover é um dos 3000 veteranos presentes nas cerimônias do Dia D no norte da França. (REUTERS/Thomas Bregardis/Pool)

Amanhã são esperadas 20 de líderes mundiais nas praias da Normandia para prestar homenagem aos milhares de mortos na batalha pela libertação da França ocupada pelos nazistas. Mas as celebrações começaram hoje na Pegasus Bridge, a ponte de Bénouville libertada pelos paraquedistas britânicos na noite de 5 para 6 de junho.

Esta foi a primeira ação dos soldados aliados, a poucos quilômetros da costa foi seguida da libertação de Ranville, primeira aldeia libertada na França continental.

Setenta anos depois, o príncipe Charles, de uniforme de marechal do exército britânico, atravessou a ponte com a mulher Camilla, antes de assistir à tarde à chegada de 300 paraquedistas britânicos, americanos, canadenses e franceses. Entre eles um veterano do Dia D, o escocês John Hutton, que voltou a saltar apesar dos seus 89 anos.

Entre os 150 mil soldados que chegaram pelo mar ou pelo ar às costas francesas em 6 de junho de 1944, encontrava-se o paraquedista Ernest Stringer, ferido no joelho por tiros de metralhadora antes de chegar à Pegasus Bridge.

Esta noite, à meia noite, os céus da Normandia vão ser iluminados por fogos de artifício, tal como os bombardeamentos aliados os iluminaram na noite de 5 para 6 de junho de 1944, anunciando o início da libertação da Europa do domínio nazista e mais tarde, o fim da II Guerra Mundial.



Fonte: DN Globo

Comentários

Postagens mais visitadas