Esquadrão Pelicano opera com óculos de visão noturna em transporte aeromédico



O Esquadrão Pelicano (2º/10º GAV) usou óculos de visão noturna para realizar transporte aeromédico na madrugada de quarta-feira (04/01). O grupo foi acionado à noite para resgatar Bruno Sorrilha, de 60 anos, com suspeita de traumatismo craniano após queda de cavalo. O paciente estava na fazenda Santa Edwiges, a 160 km de Corumbá, no Mato Grosso do Sul.


Composta por sete militares, incluindo médico, a tripulação seguiu de helicóptero H-1H, FAB 8696, de Campo Grande até a fazenda. Depois de estabilizar a vítima, foi uma hora de voo até chegar ao SAMU de Corumbá. Agora o paciente, que teve o quadro de traumatismo craniano confirmado, continua o tratamento na Santa Casa de Corumbá.

Segundo o Comandante da missão, Tenente Aviador Marcel Felippe Garcia, o maior ganho possibilitado pelo uso do óculos de visão noturna é o fator tempo. “Nesse caso, por exemplo, o paciente estava em estado grave de traumatismo craniano encefálico. O esquadrão foi acionado à noite, decolou às 22:30, e resgatou o paciente às 3:30. Se não houvesse o óculos de visão noturna, nós teríamos que esperar o sol nascer. Tivemos um ganho de cinco horas”, afirmou o tenente.

O óculos NVG (do inglês, night vision goggles) permite que missões sejam desenvolvidas em cenários de luminosidade bastante limitada, ou seja, com auxílio apenas da luz das estrelas ou da lua. “Com o óculos de visão noturna quase todas as missões do 2º/10º podem ser executadas de forma praticamente ilimitada. É um ganho enorme”, finalizou.


Fonte: FAB

Comentários

Postagens mais visitadas