Esquadrão Grifo celebra 18° aniversário



O Esquadrão Grifo (2°/3° GAV) completou 18 anos no último sábado (28/09) e para celebrar a data realizou na terça-feira (24/09) uma cerimônia militar e coquetel de comemoração no pátio operacional do esquadrão em Porto Velho-RO.

O Esquadrão Grifo desde a sua criação formou 70 líderes de esquadrilha da aviação de caça, 79 pilotos operacionais com NVG, os óculos de visão noturna, e 25 operadores de FLIR (sensor de visão frontal infravermelha).

O Esquadrão tem mais de 23.000 horas com o AT-27 Tucano e mais de 28.000 horas com o A-29 Super Tucano. O Comandante do 2°/3° GAV, Tenente-Coronel Aviador Josenval Alves Franco, destacou que o sucesso do Esquadrão se deve às pessoas que se dedicam e se dedicaram ao Grifo nestes 18 anos: "Tudo isso só foi possível graças à dedicação, ao empenho, ao profissionalismo e até mesmo à abnegação de cada militar que algum dia integrou ou que atualmente trabalha no Grifo e pelo Grifo. Cada oficial, suboficial, sargento cabo ou soldado, de alguma forma contribuiu para a evolução da unidade”.

O evento contou com a presença do presidente da Associação Brasileira dos Pilotos de Caça, Brigadeiro do Ar Teomar Fonseca Quírico, e do Coronel Aviador da reserva, Ednei de Souza Nunes, Grifo 01, primeiro Comandante do Esquadrão, em 1995. No evento, foram entregues também o Prêmio “1000 horas de Caça”, homenagem ao militar que dedica seu tempo exclusivamente à aviação de caça; o “Distintivo de Condição Especial”, para aqueles com mais de 20, 10 ou 5 anos em unidades de caça; e a comenda “Grifo Honorário”, como forma de homenagear os que se fizeram presentes de maneira significativa na história do 2°/3° GAV.

Grifo

O Esquadrão Grifo com as aeronaves A-29 Super Tucano realiza missões de vigilância e patrulhamento aéreo da região Amazônica e da fronteira oeste do Brasil. Em conjunto com o Esquadrão Escorpião (1º/3º GAV), baseado em Boa Vista - Roraima, é responsável pela manutenção da soberania brasileira na região.

O Esquadrão Grifo realiza missões de interceptação e ataque, reconhecimento armado, reconhecimento visual, ligação, observação, controle aéreo aproximado, operações aéreas especiais e com outros órgãos do Governo Brasileiro, como a Polícia Federal, atuando no combate a voos ilícitos, principalmente de aeronaves de traficantes e contrabandistas.


Fonte: BAPV

Comentários

Postagens mais visitadas