Dono da Azul quer TAP e JetBlue para formar gigante da aviação

Segundo Folha de S. Paulo, David Neeleman quer formar fundo de investimentos para comprar companhias e pode ter BNDES como sócio

David Neeleman, presidente da Azul
David Neeleman, fundador da Azul: empresário pode criar gigante da aviação

São Paulo – Após negar os rumores de que a Azul poderia comprar a TAP, David Neeleman, fundador da companhia, pode ter voltado atrás na sua decisão. O jornal Folha de S. Paulo publicou, nesta sexta-feira, que o empresário estaria criando um fundo de investimentos para não só comprar a companhia aérea portuguesa, como também a americana JetBlue e criar uma empresa gigante no setor da aviação.

De acordo com a reportagem, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) pode entrar como sócio no negócio e ter cerca de 20% de participação na operação. O banco entrará com investimento de 600 milhões de dólares. Os fundos de investimentos sócios da Azul também devem entrar no negócio e Neeleman terá 5% de participação. Os investimentos totais devem somar 3,2 bilhões de dólares.

A TAP é avaliada em 1,5 bilhão de dólares e a JetBlue 1,7 bilhão de dólares, disse a Folha. Ao jornal, Neeleman reiterou que não vai comprar as companhias aéreas. "Sempre penso sobre coisas que a gente pode fazer, mas, neste momento, estou focado na Azul", disse o empresário à Folha.

Recentemente, a presidente Dilma Rousseff se comprometeu com o governo português em colaborar para uma solução para a TAP. A Avianca tentou fazer uma oferta pela empresa portuguesa no fim do ano passado, mas as operações não foram adiante.



Fonte: EXAME

Comentários

acsabinotoninho disse…
Será excelente! e, Peço a Beção de Deus a este Empresário de Brio e inovações para a ampliação de mercado na aviação para melhor a ambos cliente e empresa.Também, acredito na oportunidade de fazer parte de todo esse processo como colaborador na área de aeroportos CGH ou GRU a qualquer horário no setor operacional onde tenho muita experiência que, concerteza atende as expectativas da empresa com achados e perdidos, atendimento ao cliente e indenização de bagagens com sistema World Tracer, email.
Também, desde 1991, trabalhei na área de RH, tenho comigo todo o conhecimento de trabalho na área de aviação. Fui Coordenador e Assitente Administrativo em Indenização de Bagagens, orientações a todas as bases, formas de atendimento, resolução das situações para uma atuação específica a tais procedimentos de resolução e processo de finalização, com a satisfação do cliente.
acsabinotoninho disse…
Desde 1991, Trabalhei na Transbrasil S/a Linhas Aéreas, até 1998 na área de Recursos Humanos. Não atuei sómente em recrutamento e seleção, cargos e salários, benefícios e treinamentos. Muito foi, minha atuação com criação de agilidade nos procedimentos de apontamento de ponto quando ainda, era com cartão e relógio de alavanca.Depois, veio automatização o que avançou nossos trabalhos neste setor por pouco tempo atuei, poi, logo, fui definitivao para folha de pagamento. Preposto em Sindicato ou MTE, e, Forum do Trabalho, rescisão, férias,etc...., registros, alimentação do sistema com planilhas, etc.
1998 Fui solicitado ao Departamento de Indenização de Bagagens para todo o processo de atendimento ao cliente no desembarque e com achados e perdidos, indenização de bagagens com resolução total, e envio ao Departamento Financeiro e Gerência de Aeroportos as conclusões em detalhes para apreciação e aprovação a indenização final conforme C.B.A. e IATA.

Postagens mais visitadas