Spotting nos Estados Unidos - Por: Marcio Sergio




O sul da Flórida é um lugar excelente para quem curte aviação e spotting, em razão do tráfego variado, da quantidade de aeroportos e do grande número de Private jets. No último mês de março, resolvi voltar aos locais de spotting mais conhecidos da região em companhia de um amigo que mora na Flórida.



No meu roteiro, visitas programadas aos spotting points dos aeroportos de Miami (KMIA), Fort Lauderdale (KFLL) e Palm Beach (KPBI). Saindo de Brasília, fiz um ótimo vôo pela American Airlines, no AA248, direto para Miami.

Uma dica com relação às viagens aos Estados Unidos é que as filas da imigração e o tempo de espera para entrevista aumentaram muito devido aos cortes no orçamento americano. Fiquei duas horas para ser atendido pelo agente de imigração, mas tudo bem, uma vez que a causa era nobre – spotting.



Da mesma forma, a metereologia também não ajudou muito na minha viagem. O tempo ficou quase sempre encoberto com eventuais aberturas, o que dificultou os registros em razão da constante variação de luz. Mesmo com o tempo desfavorável, seguimos para o aeroporto de Fort Lauderdale (KFLL), nossa primeira parada na viagem.

No aeroporto de Fort Lauderdale (KFLL) existem duas opções para os amantes do spotting – cobertura do edifício garagem e o Viewing Park. Desta vez não fomos ao edifício garagem, uma vez que as operações do aeroporto estavam acontecendo pela pista 9L e o melhor ponto para spotting neste caso era o Viewing Park, localizado na SW 39th street.

Este local tem uma ótima infra-estrutura para os spotters, com estacionamento e sistema de áudio com as freqüências da torre – No Viewing Park o spotter não precisa levar um receptor de freqüências aeronáuticas. As fotos podem ser feitas do estacionamento ou na grade próxima a pista. A dica é que não se permaneça por muito tempo na cerca para não chamar a atenção da segurança, apesar de ser um local destinado ao hobby.

 

Ficamos no local por mais de duas horas e podemos ver e registrar um tráfego bastante variado, com muito bizjet e figurinhas carimbadas naquele aeroporto, como é o caso da JetBlue, Delta, SouthWest, dentre outras. Inclusive registramos um Phenom 300 com esquema de cores original dos Phenom.



A próxima parada seria o Palm Beach International Airport (KPBI), que fica a cerca de 70 milhas de Miami, uma viagem de aproximadamente uma hora de carro. Devido ao tempo desfavorável e a distância, mudamos nossos planos e fomos para o Miami International Airport (KMIA) para fritamos o A380 da Lufthansa, que faz o voo diário LH462, ligando o Frankfurt Am Main Airport (EDDF) ao aeroporto de Miami.

No aeroporto de Miami (KMIA) também existem dois locais apropriados para a prática do spotting, dependendo da pista em operação. O primeiro local conhecido como "The Holes”, em razão dos furos feitos pela administração do aeroporto na cerca do perímetro para facilitar o spotting. Deste spotting point, que fica na NW 25th street, pode-se fazer o registro das operações da pista 12 e também das pistas 8L e 8R.



O segundo local fica no final da NW 72th Street, ao lado de uma loja de móveis chamada EL Dorado Furniture Store, e possibilita ao spotter fotografar o tráfego chegando pela pista 9. Este local é menos confortável do que o localizado na NW 25th street, mas permite ótimas fotos, em que pese não existirem os “The Holes” na cerca do perímetro. Aqui o ideal é ficar nos trilhos de uma ferrovia que passa ao lado da pista e aproveitar a diferença de altura em a pista e os trilhos.



No dia que fomos ao Miami International Airport, as operações estavam acontecendo, em sua maioria, na pista 9, o que definiu a escolha do spotting point da NW 72th Street. O horário previsto para chegada do A380 em Miami é as 14:15, e por volta das 13:00 horas já estávamos no local aguardando a chegada desta bela aeronave, e aproveitando para fazer registros do tráfego que chega de toda a América do Sul e Caribe. Todavia, o voo da Lufthansa atrasou mais de duas horas e acabamos desistindo.

No último dia na Flórida a missão era fritar o A380. O tempo amanheceu fechado, com uma garoa que ia e vinha, mas mesmo assim nos dirigimos ao aeroporto, que neste dia operava para pousos na pista 27. Desta vez, o A380 alemão chegou 25 minutos “ahead of schedule” e nos pegou no semáforo da NW 72th street com a NW 12th street, a poucos metros do local. A missão ficou para ser cumprida em outra oportunidade, uma vez que a viagem tinha chegado ao fim.

Naquela noite embarquei de volta ao Brasil no voo AA243 da American Airlines, que completou o trajeto e aterrissou em Brasília com 20 minutos de antecedência.



O A380 da Lufthansa que me aguarde...



NOTA DO REDATOR: Gostaríamos de agradecer ao amigo Marcio Sergio pela colaboração com a nossa revista, é muito bom receber novidades ainda mais vindas de fora, aonde a cultura da fotografia de aviação tem seu valor e é respeitada, este é um ponto em que nós juntamente com grandes amigos de outros sites, parceiros, brigamos para que o Spotting ganhe um espaço maior em nosso país, parabéns pela matéria e pelas imagens Marcio. 


 




 

 















 




Comentários

Postagens mais visitadas