GUARDIÕES: North-American T-6 Texan


Caros amigos leitores da Revista Aero – Latina, Iniciamos o artigo "Guardiões", em nossa revista virtual, com o Bombardeiro B-17 (Veja Aqui), agora todas as sextas uma aeronave diferente em nosso artigo.

Na matéria desta sexta, vamos fazer uma homenagem da uma época que levou milhares de pessoas aos campos de aviação no Brasil, um avião que serviu em várias forças aéreas no mundo, um clássico da Segunda Guerra mundial, o North-American T-6 Texan sendo um avião monomotor, para dois tripulantes, destinado à instrução e ao treinamento de pilotos e também utilizada em combate em diversos cenários entre eles a Segunda Guerra Mundial e a Guerra da Coréia. Em 1937 o North American AT-6 venceu a disputa entre os grandes fabricantes dos EUA para o desenvolvimento de um novo avião para treinamento avançado destinado a Força Aérea. O projeto do AT-6 de “Advanced Treiner” contava com um motor Pratt & Whitney “ Wasp” de 600hp. Com trem de pouso convencional, retrátil, com roda de cauda recebeu a designação militar (SNJ pela Marinha) e foi fabricado entre 1940 e 1954. O último deles produzido no Canadá.

Este avião era o passaporte aos caças mais avançados como os P-47 e P-51. Entretanto, algumas unidades chegaram a utilizar em combate para missões de ataque ao solo, observação e até escolta de bombardeiros, forçando-os aos combates aéreos.

A denominação T-6 Texan pela qual o avião ficou famoso, só foi adotada pela Força Aérea dos EUA (USAF) em 1948 até então as suas várias versões tiveram designações. Em 1936 a Marinha dos Estados Unidos encomendou cerca de 40 aviões à North American Aviation para instrução dos seus pilotos cujo protótipo recebeu a designação NA-T6. Posteriormente o Exército alterou a designação para AT-6. Sendo produzido em grande escala alcançou a marca de 1200 aviões. Quando a Segunda Guerra Mundial começou, a Força Aérea dos Estados Unidos dispunha de mais de 2000 aviões AT-6 em serviço. Em 1948 começaram a aparecer aviões, ostentando uma nova designação, o T-6G Texan que apresentava algumas inovações como depósitos com maior capacidade, um novo painel de instrumentos com melhores instrumentos de navegação entre outros.

Operação no Brasil

A Força Aérea Brasileira (FAB), operou a versão AT-6D entre 1947 e 1976. O T-6 serviu à FAB por 34 anos, foi fabricado sob licença no Brasil entre 1946 e 1951 na fábrica de aviões de Lagoa Santa, MG. No total, 81 unidades foram produzidas somando-se ao total mundial de 15.495 aviões. O T-6 foi utilizado em missões de treinamento avançado, tiro, bombardeio, patrulha e demonstração aérea.

Nesta última, na equipe de demonstração aérea da FAB, a Esquadrilha da Fumaça.

O North American T-6 teve importante desempenho no Esquadrão de Demonstração Aérea do Brasil, denominada “Esquadrilha da Fumaça”, aonde efetuou cerca de 1.270 apresentações ao longo de 23 anos de serviço ativo. Com esse avião a esquadrilha exibiu-se em todos os Estados brasileiros e se apresentou internacionalmente no Uruguai, Paraguai, Argentina, Guiana, Venezuela, Panamá e Guatemala.


O Museu Aeroespacial tem em seu acervo a aeronave de matrícula FAB 1552, voada pelo Coronel Antônio Arthur Braga(In-Memoria), recordista mundial de horas de vôo em aviões T-6 e comandante por 12 anos da Esquadrilha da Fumaça. Uma prova da robustez e eficiência do T-6 é o fato de até hoje ele ser empregado em demonstrações acrobáticas, executando manobras de precisão e alta performance em vários cantos do planeta. Nos Estados Unidos, por exemplo, existe o "North American Team", esquadrilha de T-6 que realiza acrobacias com as aeronaves em formação.


 









Aqui no Brasil, temos o "Circo Aéreo" (ex-Onix), hoje denominada Esquadrilha BR Aviation utiliza três NA T-6 em demonstrações acrobáticas, e possui mais uma aeronaves em fases de testes e que deve engajar-se na Esquadrilha em breve totalizando quatro aeronaves NA T-6.









A equipe liderada pelo comandante Carlos Edo realiza apresentações, de aproximadamente 30 minutos, cheias de emoção e adrenalina. O barulho ensurdecedor e a fumaça lançada deixam o público maravilhado e com vontade de ver mais.

Especificações Técnicas

Fabricante: North American Aviation, Inc. – Estados Unidos da América

Motor: Pratt & Whitney R-1340-AN1 de 550 H.P., radial de 9 cilindros.

Designação Militar: T-6D

Comprimento: 8,8 m

Envergadura: 12,9 m 12,9 m 12,9 m

Altura: 3,5 m

Peso Vazio: 1.888 kg

Velocidade Máxima: 331 km/h

Alcance: 1.200 km

Variantes

Existiram numerosas variantes do T-6, algumas das quais foram as seguintes:

• NA-T6 - protótipo inicial, com trem de pouso fixo, sem carenagem e motor de 225 CV;

• NA-T6-1E - versão com trem de pouso retrátil do NA-16;

• NA-T9/ BT-9 - 42 exemplares de instrução básica encomendados pelo Exército dos Estados Unidos e ali designados como BT-9;

• BT-9A/ BC-1B - versão armada desenvolvida para o Exército dos Estados Unidos do BT-9, depois foi designado BC-1B;

• NA-23/ BT-9B - versão com uma nova asa e nova cauda do BT-9A

• NA-26/ BC-1 - redesenho do BT-9 com uma nova asa, nova cauda e fuselagem inteiramente em metal;

• NA-33/ Wirraway - versão de reconhecimento armado do BC-1 produzida na Austrália e ali conhecida como Wirraway;

• NA-56/ BT-9B - Versão para a China do BT-9;

• NA-57/ BT-9B - Versão para a França do BT-9;

• NA-41/ BT-9C - Versão para o Exército dos Estados Unidos;

• NA-48 - Versão do NA-26 para a China

• NA-58/ BT-14 - versão com a fuselagem inteiramente em metal para o USAAC

• NA-64/ BT-14A - versão do BT-14 destinados à França

• NA-49/ Harvard I - 400 exemplares do NA-26 destinados à RAF e ali designados Harvard I;

• NA-59/ BC-1A/ AT-6/ SNJ-1/ Harvard II - versão com trem de pouso retrátil do NA-48. Inicialmente designado no Exército Americano BC-1 e, depois, AT-6. Denominado SNJ-1 na Marinha dos EUA e Harvard II na RAF;

• SNJ-2 - versão desenvolvida do SNJ-1;

• NA-54/ BC-2 - desenho modificado do BC-1;

• NA-77/ AT-6A/ SNJ-3 - desenvolvimento do NA-59;

• NA-84/ AT-6B - versão de treino de tiro

• NA-88/ AT-6C/ SNJ-4/ Harvard IIA

• AT-T6/ Harvard IIB

• T-6D/ SNJ-5/ Harvard III - programa de modernização do AT-6 com nova cabine, nova hélice, nova roda de cauda e maiores tanques de combustível. Passou a denominar-se na Força Aérea dos Estados Unidos T-6D Texan;

• NA-121/ AT-6F/ SNJ-6

• NA-168/ T-6G/ SNJ-7 - modernização do T-6 iniciada em 1949 e denominada T-6G Texan pela Força Aérea dos Estados Unidos;

• NA-186/ T-6J/ Harvard 4 - versão produzida no Canadá até 1954.

Operadores


Texto: André Manhani - Fotógrafo
Revisão: Graça Muniz - Jornalista
Fotos: T-6 da FAB - Arquivo da FAB
Fotos: Esquadrilha Br Aviation - Titolivio de Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas