Aeroportos brasileiros estão preparados para emergências?



O Futurando 29 mostrou a complexidade das simulações de emergência em aeroportos alemães. No país europeu, além dos bombeiros e dos funcionários do local, figurantes dão mais realidade ao treinamento. No Brasil, os preparativos também são complexos. Cursos de aperfeiçoamento e simulações diversas fazem parte da estratégia para garantir a segurança. Todos os treinamentos são exigidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e são executados periodicamente.

Para o especialista em ciências aeronáuticas Marcus Silva Reis, os aeroportos brasileiros estão preparados para qualquer emergência. Mas, se não houver investimentos no setor, na infraestrutura e na formação profissional, os problemas vão aparecer no futuro. Reis diz que a movimentação no transporte aéreo cresceu mais do que os investimentos.

Segurança em grandes eventos


Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, novas equipes de resgate não serão recrutadas para a Copa do Mundo de 2014. As equipes estão treinadas para atuar em emergências aeronáuticas a qualquer hora, afirma o órgão. A Infraero informou também que o número e a freqüência de exercícios ocorrerão de acordo com as resoluções da Anac.

Reis diz que o maior problema não é o Mundial, já que o evento dura apenas um mês. "Trabalhar com um evento como Copa do Mundo ou Olimpíadas é uma exceção. Você tem um maior fluxo de pessoas dentro daquele espaço de tempo. Então isso é administrável. Eu acho que o problema do Brasil pode ser nos próximos dez anos, com relação ao aumento da nossa demanda interna" diz o especialista.






Treinamentos de emergência


Para garantir a rapidez e a segurança em situações de emergência, existem cursos para bombeiros, voluntários, comunidade e funcionários do aeroporto. O curso de Aperfeiçoamento Técnico de Bombeiros para Aeródromos (ATEBA), por exemplo, tem como objetivo atualizar os conhecimentos e as habilidades dos bombeiros que atuam em aeroportos. Esse profissionais também precisam fazer um curso para operar os caminhões contra incêndios em aeroportos. Eles são os que mais recebem treinamentos.

A cada três anos, um conjunto de exercícios práticos testa a eficácia do Plano de Emergência (Plem) dos aeroportos com mais de um milhão de passageiros. Ele mede também a preparação dos profissionais envolvidos em ações de resgate em emergências, além de avaliar os recursos disponíveis. A simulação envolve, além de bombeiros, funcionários do aeroporto, companhias aéreas, comunidade e, em alguns casos, figurantes.

Existe ainda o Curso de Formação Técnica de Bombeiros para Aeródromos (FTBA). E também treinamentos para a comunidade aeroportuária, que pode ajudar voluntariamente numa emergência prestando primeiros socorros às vitimas de acidentes. Como muitos dos treinamentos exigem fogo, órgãos ambientais precisam monitorar as atividades e também dar uma autorização prévia.



Fonte: SAESP 


NOTA: As imagens mostradas nesta matéria foram realizadas pelo Redator e Fotógrafo da Revista, Titolivio, durante a simulação realizada no Aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto, mostrando o quanto é complexa a simulação que mobilizou o SAMU, Corpo de Bombeiros, Policia Militar, Guarda municipal entre outras empresas particulares.

Comentários

Postagens mais visitadas