Beechcraft vai à Justiça contra compra de aviões Embraer pelos EUA

 Embraer ganhou licitação para vender aviões à Força Aérea dos EUA.
Na semana passada, Força Aérea decidiu manter contrato.

 


A fabricante norte-americana de aeronaves Beechcraft disse nesta quinta-feira (21) que está processando a Força Aérea dos Estados Unidos para paralisar um polêmico contrato vencido pela fabricante brasileira de aeronaves Embraer e a sua parceira norte-americana, enquanto auditores federais revisam o protesto da Beechcraft contra o contrato.

A Força Aérea autorizou na semana passada que a Sierra Nevada e a Embraer continuassem trabalhando em um pedido de US$ 428 milhões por 20 aeronaves leves de ataque para o Afeganistão, descartando uma ordem de paralisação emitida após um protesto registrado pela Beechcraft junto à agência de controle de contas do governo dos EUA.


Super Tucano A-29, da Embraer. (Foto: Divulgação/Embraer)

Nesta quinta-feira, a Beechcraft desafiou a decisão da Força Aérea de permitir a continuação do programa ao entrar com um processo na Corte de Reivindicações Federais dos EUA.

O processo da Beechcraft nesta quinta-feira é a mais recente ocorrência numa contínua disputa sobre encomendas afegãs por aeronaves – uma disputa que atraiu a ira do governo brasileiro e que pode complicar planos norte-americanos de deixar o Afeganistão em 2014.

A Sierra Nevada, que tem capital fechado, disse que ela e a Embraer estão avançando no Apoio Aéreo Leve (LAS, na sigla em inglês) da Força Aérea dos EUA. "Entendemos completamente a urgência dessa missão e pretendemos providenciar um produto superior dentro do cronograma", disse a Sierra Nevada em comunicado, acrescentando que o contrato vai sustentar mais de 1.400 postos de trabalho nos EUA.

A Embraer firmou na semana passada acordo de arrendamento de uma instalação em Jacksonville, Flórida, onde planeja montar os 20 A-29 Super Tucanos a serem entregues no Afeganistão.

"Continuaremos a cumprir as nossas obrigações contratuais de apoiar o programa", afirmou a Embraer em nota nesta quinta-feira.

"O A-29 Super Tucano, que foi selecionado pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) no dia 27 de fevereiro, será produzido por trabalhadores americanos em Jacksonville, no Estado da Flórida, e sustentará mais de 1.400 empregos nos Estados Unidos. Estamos orgulhosos de apoiar os EUA e as suas nações parceiras nessa importante e crítica missão", afirmou a empresa.

Na semana passada, a empresa brasileira afirmou que está pronta para iniciar a produção do avião de ataque leve Super Tucano nos Estados Unidos e demonstrou confiança na resolução dos questionamentos sobre a licitação.

"A produção já começa tão logo tenha a confirmação do programa", afirmou o vice-presidente financeiro da fabricante brasileira de jatos, José Filippo, em teleconferência com jornalistas.

A Força Aérea está se apressando para levar novas aeronaves ao Afeganistão e para treinar pilotos para conduzi-las enquanto as forças norte-americanas se preparam para deixar o país após uma década de guerra.

A Beechcraft emergiu da concordata no mês passado. A fabricante de aeronaves afirmou que a decisão da Força Aérea de dar prosseguimento ao contrato de "mal orientada".


Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas