Rússia e Índia fecham parceria para novo cargueiro

 
Engenheiros russos e indianos deram inícios aos estudos para concepção de uma nova aeronave cargueira. Esta nova aeronave vem a concorrer com o novo projeto da brasileira Embraer, o KC-390, aeronave que ja se encontra em fase adiantada de desenvolvimento com relação ao novo projeto Russo-indiano conhecido como MTA.

O contrato inicial de entendimento foi assinado em outubro de 2012 pelas empresas envolvidas no programa. Nesta primeira fase projetistas tem realizado estudos do desenho da nova aeronave, a qual objetiva-se criar uma aeronave com capacidade de carga útil na ordem de 20 toneladas, propulsão por turbofans velocidade de cruzeiro de estimado em 800 km/h, autonomia de 2.700 km, com a possibilidade de operar sob qualquer condição climática e em qualquer tipo de pista, seja sob inverno rigoroso ou no calor escaldante dos desertos. Outro ponto visado pelo projeto são as qualidades de pouso de decolagem curtos. Pelo que tomamos conhecimento, a nova aeronave virá a ser um forte concorrente no mercado por aeronaves na faixa de 15 - 20 toneladas, mercado onde esta inserido o novo produto brasileiro que já possui uma forte carteira de clientes além da própria Força Aérea Brasileira.

Os planos iniciais divulgados relatam a produção de pelo menos 200 aviões: 100 para a Força Aérea da Rússia, 45 para a Força Aérea da Índia, e mais algumas dúzias para atender á outros clientes.

A Índia está buscando desenvolver suas próprias tecnologias no campo aeronáutico, fortalecendo sua indústria de construção aérea através de parcerias e compras de equimentos envolvendo a transferência de tecnologia e capacitação técnica, algo que tem estabelecido laços cada vez mais fortes com a Rússia, que diferente de seus pares americanos e europeus que oferecem aviões prontos sem oferecer um programa sólido de transferência de tecnologia e capacitação, a Rússia está investindo justamente no compartilhamento de tecnologias e desenvolvimento conjuntos.

A história de parcerias entre as duas nações não é de agora, tem sido construída ao longo de muitos anos, possuindo grandes programas conjuntos entre as duas nações em diversos campos, se extendendo muito além do campo aerospacial, com a venda e construção de submarinos, concepção de mísseis de cruzeiro, onde um bom exemplo é a empresa conjunta russo-indiana BrahMos, que produz mísseis de cruzeiro capazes de voar a velocidades até três vezes superior a qualquer outro míssil de cruzeiro operacional hoje no mundo. A Índia ainda possui uma linha de montagem de aeronaves Sukhoy Su-30MKI, dominando praticamente todo ciclo de montagem e manutenção desta moderna aeronave.

A grande estrela que coroa a cooperação entre Rússia e Índia, sem sombra de dúvidas é o novo caça de quinta geração PAK- FA ou T-50, uma aeronave que foi praticamente toda desenvolvida e sigilo, que demosntra a imensa capacidade tecnológica das duas nações envolvidas.

A produção de um avião médio de transporte multiuso de médio alcance é mais um projeto estratégico para Rússia que após o fim da URSS perdeu o domínio sobre as indústrias aeronáuticas que detinham todo o parque responsável pela construção deste tipo de aeronaves, pois as principais fábricantes estavam na Ucrânia, como a Antonov.

Este programa vai intensificar a parceria e a estreitar os laços entre a Força Aérea da Rússia e a Força Aérea da Índia, aliando ainda uma maior integração entre as indústrias destes dois países, com isso reduzindo os custos de pesquisa e desenvolvimento.

O primeiro voo do novo cargueiro está previsto para 2016-2017, e a produção em série em 2019. No futuro, Rússia e Índia irão comercializá-lo no mercado internacional. O novo avião vai concorrer no mercado com o KC-390 brasileiro, e aeronaves turboélices como C-130 norte americano e os russo-ucranianos An-12 e An-26.

Fonte: GeoPolítica Brasil com agências de notícias

Comentários

Postagens mais visitadas