Embraer eleva carteira de pedidos após um ano

A Azul Linhas Aéreas é empresa aérea brasileira que mais possui jatos da Embraer. 

A Embraer, maior fabricante de jatos regionais do mundo, elevou sua carteira de pedidos no quarto trimestre pela primeira vez em um ano, com uma encomenda de 20 aviões feita por um cliente não identificado pela empresa.

As ações da companhia reagiram bem à notícia e fecharam em alta de 2,7% ontem.

A empresa anunciou a venda de 15 jatos regionais E-190 e 5 E-175, encerrando um jejum de grandes encomendas por companhias aéreas que já durava cerca de um ano.

Com as novas encomendas, a carteira de pedidos da fabricante teve leve crescimento, passando de US$ 12,4 bilhões, no fim de setembro, para US$ 12,5 bilhões, em dezembro.

O volume de entregas da Embraer no quarto trimestre caiu cerca de 7% sobre o mesmo período de 2011, para 76 jatos. Mas, na comparação com as 40 unidades despachadas no terceiro trimestre, os envios quase dobraram nos três últimos meses de 2012.

A companhia entregou 23 jatos para o segmento comercial e 53 unidades par aviação executiva no quarto trimestre, contra 32 jatos comerciais e 50 executivos no mesmo período de 2011.

Em todo o ano de 2012, a Embraer entregou 205 jatos, dos quais 106 comerciais e 99 executivos.

Em 2011, as entregas somaram 204 unidades. A carteira de pedidos firmes terminou o ano passado com 185 jatos a entregar e 1.093 pedidos.

O piso da meta para entrega de aviões comerciais em 2012 era de 105 unidades, enquanto na aviação executiva, a meta mínima era de 90 unidades.

"A empresa conseguiu atingir a estimativa de entregas. Mesmo com cenário difícil em 2012, ela conseguiu ter números fortes", disse Luis Gustavo Pereira, estrategista na Futura Corretora.

Perspectivas. "No setor em que se encontra a Embraer é menos relevante o impacto no balanço no curto prazo do que a perspectiva da empresa no longo prazo", diz o sócio-diretor da empresa de análise econômica Pezco Microanalysis, Cleveland Prates Teixeira, em referência à expectativa de investimentos na aviação regional do País.

No dia 20 do mês passado, o governo federal anunciou um pacote para a aviação regional com investimentos de R$ 7,3 bilhões. "Os aviões da Embraer se adaptam melhor à aviação regional", afirma. "É bem provável que a demanda pelo tipo de aeronave da Embraer aumente significativamente nos próximos anos", explica.

Pereira, da Futura, diz que o mercado estava cético com a ação da empresa, mas os dados trazem certo alívio ao investidor. "O cenário continua desafiador, mas mercado está dando um voto de confiança", afirmou.

Em dezembro do ano passado, o presidente executivo da empresa, Frederico Curado, afirmou a jornalistas que a Embraer continuava com a estimativa de manter estável a produção em 2013.

A escassez de pedidos vinha provocando questionamentos por parte de investidores sobre a possibilidade de interromper a produção.

Fonte: Viracopos Portal de Serviços

Comentários

Postagens mais visitadas